Reavaliar paganidade

Quem sou
Aina Martin
@ainamartin
Autor e referências

J√° falamos v√°rias vezes sobre Crusader Kings II, voltando v√°rias vezes a este t√≠tulo extraordin√°rio, mesmo depois de alguns meses desde a sua chegada ao mercado, que ocorreu h√° mais de um ano. O jogo da Paradox Interactive ainda goza de excelente sa√ļde, gra√ßas ao duplo apoio da comunidade modder e, claro, da equipe de desenvolvimento "oficial", que continuou a produzir novos recursos para adicionar ao (j√° potencialmente infinito) b√°sico vers√£o do jogo. Ap√≥s a expans√£o The Republic, vista no in√≠cio de 2013, tamb√©m chegou a hora de The Old Gods, uma nova s√©rie de conte√ļdo de jogo com a qual a Paradoxo espera adicionar mais horas √† not√°vel quantidade total de tempo gasto na frente de Crusader Kings II. Para isso, decidiu ir contra a natureza da Rep√ļblica, da maneira que veremos em breve.



Filhos de Odin

No per√≠odo ap√≥s o ano 1000 em que tivemos a oportunidade de viver at√© agora no Cruzado Reis II, a Europa certamente n√£o foi um exemplo de civiliza√ß√£o, mas o florescimento das rep√ļblicas deu boas esperan√ßas para o que mais tarde seria a liberta√ß√£o de popula√ß√Ķes. da Idade M√©dia. Com Os Deuses Antigos, em vez disso, recuamos 200 anos no tempo, pousando precisamente no Anno Domini 867: um per√≠odo particularmente turbulento para todo o continente, mas sobretudo para aqueles que se viram obrigados a conviver com popula√ß√Ķes como aquelas Vikings. Uma situa√ß√£o geopol√≠tica particularmente complexa, portanto, que nos levar√° como primeira consequ√™ncia a permanecermos ainda mais alertas para com a nossa vizinhan√ßa. Sem falar na quest√£o religiosa: se antes havia apenas crist√£os e mu√ßulmanos envolvidos, agora a chegada do paganismo traz consigo toda uma s√©rie de implica√ß√Ķes, que ver√£o cada vez mais territ√≥rios diferentes se unirem na luta contra um inimigo comum, sob a bandeira da mesma f√©.



Se em A Rep√ļblica o componente militar ocupava o segundo lugar em rela√ß√£o ao dedicado ao com√©rcio, The Old Gods inverte completamente essa caracter√≠stica da expans√£o anterior, atraindo de todas as formas o jogador que controla uma das novas popula√ß√Ķes a se tornar um guerreiro. Entre as popula√ß√Ķes n√≥rdicas, por exemplo, o rei √© mal visto se ficar inativo por muito tempo, correndo tamb√©m o risco de desenvolver uma penalidade aplicada ao Prest√≠gio, um dos par√Ęmetros ligados √† figura do nosso alter-ego no jogo e na sua rela√ß√£o com vassalos. O problema √© que para entrar em conflito √© necess√°ria a presen√ßa de um casus belli, ou seja, uma justifica√ß√£o que agora √© mais f√°cil de obter, gra√ßas √† oportunidade de iniciar uma guerra religiosa, invadindo territ√≥rios como os brit√Ęnicos (agora de estarem unidos), explorando seu poder militar. Permanecendo no tema n√≥rdico, os reis locais tamb√©m podem decidir ter a ambi√ß√£o de subjugar uma √°rea maior, como a Dinamarca ou a Su√©cia, √† sua vontade, dando-se assim uma desculpa para invadir seus vizinhos sem muitos elogios, no que √© um s√©rie praticamente intermin√°vel de motins. Ainda no que se refere ao casus belli, existe tamb√©m a possibilidade de recorrer aos pr√≥prios conselheiros para o desempenho de diversas tarefas, incluindo a relativa ao fabrico ad hoc de pretextos para reclamar um determinado territ√≥rio.

Requisitos de sistema do PC

Configuração de teste

  • A equipe editorial usa o Computador Pessoal ASUS CG8250
  • Processore Intel Core i7-3770K a 3.50 GHz
  • 16 GB de RAM
  • Placa de v√≠deo NVIDIA GeForce GTX680
  • Sistema operacional Windows 8

Requisitos mínimos

  • Processador Intel Pentium IV 2.4 GHz o AMD 3500+
  • 2 GB RAM
  • Placa de v√≠deo NVIDIA GeForce 8800 ou ATI Radeon X1900
  • 2 GB de espa√ßo em disco

Saqueando que paix√£o

Depois de terem conquistado regi√Ķes n√£o pertencentes √† sua √°rea de origem, como dissemos, as popula√ß√Ķes pag√£s mostrar-se-√£o pouco inclinadas √† sua gest√£o, preferindo a possibilidade de explor√°-las em todos os sentidos, obtendo o m√°ximo poss√≠vel em termos de recursos. para alimentar os assentamentos nas pr√≥prias √°reas. Para fazer isso, A Paradox introduziu o sistema de raid, por meio do qual dizemos √†s nossas unidades para fazer incurs√Ķes pela regi√£o onde est√£o, para trazer para casa o saque de que precisamos. N√£o sem as consequ√™ncias, √© claro, consistindo na possibilidade de desenvolver um √≥dio justificado contra n√≥s e o nascimento de fac√ß√Ķes independentes. Mas n√£o √© mau, porque se √© verdade que em 867 nos encontramos com um poderoso ex√©rcito, como nos ensina a hist√≥ria, com o tempo a colheita ser√° essencial para resistir ao crescente ataque dos crist√£os √†s popula√ß√Ķes pag√£s, destinadas a desaparecer. Al√©m das novidades de The Old Gods intimamente ligadas a este √ļltimo, como a possibilidade de tomar concubinas e fazer sacrif√≠cios humanos, a expans√£o tamb√©m adiciona v√°rios elementos √† mec√Ęnica b√°sica da jogabilidade de Crusader Kings II, dando mais espa√ßo para o modder trabalhar em seus projetos.



Commento

Entrega digital: Steam Prezzo: 14,99 ‚ā¨ Resources4Gaming.com

8.5


Leitores (8)

8.2


Seu voto

Paradox Interactive agora n√£o perde o ritmo, especialmente quando se trata de Crusader Kings II. Os Old Gods somam √† grande estrat√©gia feita na Su√©cia o que havia sido reservado com a Rep√ļblica, justificando o adicional de ‚ā¨ 5 no pre√ßo em compara√ß√£o com a expans√£o anterior. Simplesmente imperd√≠vel, especialmente se Crusader Kings II agora se tornou seu p√£o com manteiga. Se n√£o for, voc√™ sempre ter√° tempo de se converter.

PROFISSIONAL

  • Not√≠cias importantes sobre o jogo
  • Dinamismo assegurado
  • Um cen√°rio completamente novo
CONTRA
  • O mesmo de sempre: requer paci√™ncia

The Old Gods é a cereja no topo do bolo de Crusader Kings 2. Uma obrigação para os fãs do jogo Paradoxo

Adicione um coment√°rio do Reavaliar paganidade
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.