Musica para correr

Quem sou
Aina Martin
@ainamartin
Autor e referências

O Audiosurf teve muito m√©rito e muita sorte. Era 2008, o Steam ainda n√£o era o gigante ca√≥tico que √© hoje, ningu√©m ainda tinha dado uma fun√ß√£o l√ļdica √† mir√≠ade de arquivos de m√ļsica que estavam se acumulando nos discos r√≠gidos e o conceito de "desenvolvedor independente" era muito menos popular do que √© hoje. Dylan Fitterer, apaixonado por m√ļsica e novas tecnologias, simplesmente encontrou a f√≥rmula matem√°tica perfeita para dar um sentido coletivo a objetos que a ind√ļstria nunca quis reunir.



A ideia b√°sica, que tamb√©m encontramos inalterada no Audiosurf 2, era e √© de uma simplicidade desarmante: criar uma sinestesia audiovisual jog√°vel. Gostar? O jogador apenas tem que selecionar uma pe√ßa musical que o sistema se encarrega de transformar em um circuito no qual os objetos s√£o distribu√≠dos, sejam blocos b√īnus para coletar ou obst√°culos para evitar. No modo mais popular, o Mono, os b√īnus s√£o empilhados em uma grade colocada sob o ve√≠culo dirigido pelo jogador, que varia de acordo com o tema gr√°fico escolhido. Tr√™s blocos alinhados, um cron√īmetro come√ßa no final do qual os pontos s√£o atribu√≠dos calculados com base no n√ļmero de blocos empilhados. O cron√īmetro pode ser zerado coletando mais blocos, para que voc√™ possa empilhar mais e obter pontua√ß√Ķes cada vez mais altas. A jogabilidade resultante √© na verdade muito pobre, mas outros fatores contingentes a enriquecem. O primeiro √© a riqueza visual das faixas, caracterizada por uma abstra√ß√£o psicod√©lica fascinante (pelo menos para os temas integrados). O segundo √© o desafio oferecido. Cada pe√ßa de m√ļsica permite competir contra qualquer um que a tenha usado para criar uma faixa, dando uma dimens√£o competitiva ao que continua sendo uma experi√™ncia de jogo relaxante. Se voc√™ ainda n√£o entendeu, at√© agora os dois Audiosurf est√£o sobrepostos. O segundo cap√≠tulo, entretanto, d√° alguns passos decisivos para a frente em certas √°reas, mas tamb√©m d√° passos decisivos para tr√°s em outras.



Muito caso

Uma das maiores dificuldades que Fitterer deve ter encontrado ao desenvolver o Audiosurf 2 √© descobrir como faz√™-lo evoluir. Infelizmente, a natureza do jogo n√£o permite grandes revolu√ß√Ķes, ent√£o ele tentou explorar seus elementos para criar varia√ß√Ķes da f√≥rmula j√° expressa. O resultado √© ambivalente, no sentido de que O Audiosurf 2 funciona onde o Audiosurf volta a funcionar, mas perde-se onde tenta ir mais longe. Por exemplo, uma das novidades mais critic√°veis ‚Äč‚Äč√© a gera√ß√£o aleat√≥ria de caminhos, que tenta superar a falta de variedade, mas cria v√°rios problemas estruturais que s√£o muito piores.

No Audiosurf selecionando uma m√ļsica e um n√≠vel de dificuldade, esta √ļltima possibilidade n√£o presente no seguinte, sempre criou o mesmo caminho. Como j√° mencionado, a variedade era menor que a sequ√™ncia, mas beneficiava a competi√ß√£o, pois o desafio era homog√™neo entre jogadores de todo o mundo. No Audiosurf 2 este n√£o √© o caso e a classifica√ß√£o √© obviamente adulterada pela maior ou menor sorte na distribui√ß√£o aleat√≥ria dos blocos. Claro, voc√™ fica melhor com a pr√°tica, mas a d√ļvida de um recorde feito gra√ßas a uma partida particularmente feliz est√° sempre l√° como um convidado de pedra para arruinar o sentido geral do desafio. Desse ponto de vista, pouco importa que os circuitos sejam mais bonitos, os objetos mais coloridos e as pistas mais variadas, mesmo que apenas do ponto de vista morfol√≥gico: onde o acaso se torna um fator opressor, a competi√ß√£o morre. Outras inova√ß√Ķes malsucedidas s√£o os modos alternativos, como o quebra-cabe√ßa em que voc√™ deve mover os blocos coletados durante o jogo, ou o Wakeboard, no qual voc√™ acumula blocos para se preparar para saltos espetaculares. Em ambos os casos, o problema √© que as a√ß√Ķes adicionais necess√°rias se chocam com a velocidade do que acontece na tela. Resumindo, a a√ß√£o em geral n√£o √© muito leg√≠vel. A conclus√£o √© que bastam alguns jogos para voltar a jogar apenas o modo Mono e suas variantes, como o Ninja em que o objetivo √© n√£o acabar nas pontas, nem penalizado pelo inevit√°vel caos visual.



O Audiosurf 2 conseguir√° manter o nome de seu antecessor? Descubra em nossa an√°lise

O peso do insucesso

Outro problema, neste caso n√£o atribu√≠vel ao desenvolvedor, √© o menor sucesso do Audiosurf 2 em rela√ß√£o ao seu antecessor, o que se traduz em muitas m√ļsicas sem advers√°rios. Na verdade, h√° pontua√ß√Ķes a serem desafiadas apenas nas m√ļsicas mais famosas e nas propostas pelo SoundCloud, integradas ao jogo (para quem est√° se perguntando, sem Spotify).

Infelizmente, o novo esfor√ßo de Fitterer compensa, pois n√£o √© mais uma novidade absoluta: em 2008 s√≥ existia o Audiosurf, em 2015 ainda existe o Audiosurf mas tamb√©m muitos clones e um mercado decididamente mudado. O apelo da oferta √©, portanto, menor e muitos dos clientes potenciais est√£o saturados e desinteressados ‚Äč‚Äčem reviver a mesma experi√™ncia. Resumindo, o Audiosurf 2 √© perfeito se voc√™ quer tocar sozinho com a m√ļsica de sua prefer√™ncia, mas √© paradoxalmente limitado por seus novos recursos que parecem ter sido colocados l√° mais para justificar o n√ļmero "2" do que para uma verdadeira inspira√ß√£o de design. Por outro lado, algu√©m pode se sentir atra√≠do pelos gr√°ficos renovados, muito melhores que os do epis√≥dio anterior. N√£o s√≥ os temas integrados s√£o muito bonitos e pontuais do ponto de vista estil√≠stico, mas a integra√ß√£o com o Steam Workshop j√° permitiu que os modders se manifestassem, publicando novos temas, alguns dos quais particularmente bem-sucedidos. Resumindo, deste ponto de vista o Audiosurf 2 √© uma bela descoberta, que certamente ir√° reservar algumas surpresas tamb√©m no futuro imediato.



Requisitos de sistema do PC

Configuração de teste

  • Processador Intel Core i7 -4770
  • 16 GB de RAM
  • Placa de v√≠deo NVIDIA GeForce GTX 960
  • Sistema operacional Windows 8.1

Requisitos mínimos

  • Sistema operacional: Windows Vista / 7/8
  • Processador: Dual Core de 32 ou 64 bits ou superior
  • Placa de v√≠deo: Intel HD3000
  • RAM: 2 GB
  • DirectX: 11
  • Espa√ßo em disco: 400 MB

Commento

Entrega digital vapor pre√ßo ‚ā¨ 13,99 Resources4Gaming.com

7.5

Leitores (3)

8.0

Seu voto

O Audiosurf 2 √© um t√≠tulo que pode ser julgado de duas formas completamente distintas: por um lado, existe a pr√≥pria experi√™ncia visual que vale a pena e que reserva v√°rias surpresas. Se gosta da psicodelia ou, em todo o caso, da abstrac√ß√£o electr√≥nica em geral, o risco de se apaixonar pelo jogo √© real, gra√ßas tamb√©m √† integra√ß√£o com o Workshop que aumenta exponencialmente as possibilidades de fasc√≠nio visual. Por outro lado, ele faz exatamente o que seu antecessor fez e, em alguns casos, faz pior. A escolha de faixas aleat√≥rias tamb√©m para competi√ß√Ķes online, que mata um dos elementos mais valiosos do Audiosurf, √© dificilmente aceit√°vel. Os novos modos em si s√£o uma adi√ß√£o secund√°ria e s√£o facilmente esquecidos. Em suma, √© claro que apreci√°-lo ou n√£o depende muito de como voc√™ o aborda e do que procura.

PROFISSIONAL

  • A renova√ß√£o gr√°fica teve muito sucesso
  • O Workshop √© uma fonte preciosa de beleza visual
  • Integra√ß√£o com SoundCloud
  • Modo mono e suas variantes b√°sicas
CONTRA
  • Novos modos esquec√≠veis
  • Faixas aleat√≥rias matam a competi√ß√£o
  • Nenhum n√≠vel de dificuldade selecion√°vel para modos individuais
Adicione um coment√°rio do Musica para correr
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.