Mundos flutuantes

Quem sou
Valery Aloyants
@valeryaloyants
Autor e referências

O universo de Eador √© feito de fragmentos infinitos de mundos flutuando no grande nada. Cada fragmento √© diferente em popula√ß√£o e geografia. Acima de tudo, os fragmentos n√£o est√£o em contato uns com os outros e vagam sozinhos, sem saber o que os rodeia. Pelo menos eles acreditam que sim, porque na realidade existem entidades poderosas, os Mestres, que est√£o competindo por seu controle. O jogador √© chamado para desempenhar o papel de uma dessas supercriaturas que deve tentar unificar os fragmentos em uma √ļnica massa de terreno. Quem tiver sucesso se tornar√° o senhor do universo. Eador. Mestres do Mundo Quebrado √© o remake de um jogo de estrat√©gia russo lan√ßado em 2009 Eador: Genesis (nossa an√°lise aqui).



Nunca como nesta ocasi√£o a palavra remake n√£o √© usada ao acaso, pois √©, pelo menos no modo single player, o mesmo jogo, com a mesma explora√ß√£o e mec√Ęnica de combate, s√≥ que com melhores gr√°ficos. N√£o √© ruim, voc√™ diz, porque o primeiro s√£o agora seus anos e tecnicamente ele n√£o era muito bom. Na realidade, a situa√ß√£o √© um pouco mais problem√°tica, porque √© verdade que Eador: Genesis foi publicado pela primeira vez em 2009, mas apenas na R√ļssia. O resto do Ocidente p√īde usufruir de uma vers√£o traduzida para uma l√≠ngua mais facilmente compreens√≠vel, nomeadamente o ingl√™s, apenas em dezembro de 2012, h√° cerca de seis meses. Ergo, se voc√™ j√° tem o outro e n√£o tem interesse em jog√°-lo no modo multiplayer, o Eador. Masters of the Broken World oferece pouqu√≠ssimas novidades, t√£o poucas que para falar a respeito bastaria convid√°-lo a ler a resenha de G√™nesis, aplic√°vel em grande parte tamb√©m a este cap√≠tulo.



O b√°sico

Voc√™ leu? N√£o? Voc√™ quer que n√≥s reescrevamos tudo? O que n√£o far√≠amos por voc√™s, leitores? Como j√° mencionado Eador. Mestres do Mundo Quebrado √© uma estrat√©gia baseada em turnos onde voc√™ tem que tentar conquistar massas de terra para criar um mundo maior. O jogo come√ßa com um mundo / tutorial que serve para ilustrar toda a mec√Ęnica de uma forma muito clara. No in√≠cio de cada mundo, o Mestre deve selecionar um her√≥i para enviar √† batalha e equip√°-lo com um ex√©rcito. O her√≥i pode pertencer a quatro classes diferentes: Guerreiro, Comandante, Mago e Ranger, cada um com suas pr√≥prias habilidades e cada um com suas pr√≥prias especializa√ß√Ķes, que devem ser selecionadas ap√≥s faz√™-lo crescer em um determinado n√ļmero de n√≠veis.

Por exemplo, o guerreiro √© uma unidade muito forte que tende a desenvolver suas capacidades de combate, enquanto o comandante se destina a ser uma unidade de apoio para todas as outras unidades amigas no campo de batalha. Se desejar, durante um jogo ser√° poss√≠vel dirigir mais her√≥is (basta contrat√°-los pagando), o que se tornar√° necess√°rio assim que voc√™ estiver em mundos mais complexos que os b√°sicos e ter√° que enfrentar Mestres em confronto. A jogabilidade √© dividida em fases distintas. H√° uma fase explorat√≥ria, que consiste em conquistar e explorar os territ√≥rios individuais. H√° uma fase de gerenciamento, na qual voc√™ tem que construir pr√©dios na capital para conseguir novas tropas para contratar, novos feiti√ßos para os her√≥is e toda uma s√©rie de outros b√īnus que s√£o de enorme import√Ęncia no decorrer do jogo. Por fim, h√° a fase do combate propriamente dito em que as tropas se posicionam no campo de batalha, divididas em um tabuleiro de xadrez, e devem se dar golpes saud√°veis. Tudo f√°cil? Na verdade n√£o, porque cada est√°gio tem suas pr√≥prias complica√ß√Ķes.



Exploração

Eador. Mestres do Mundo Quebrado √© um t√≠tulo complexo de jogar e requer um planejamento cuidadoso de seus movimentos se voc√™ n√£o quiser ser eliminado imediatamente. No in√≠cio os recursos s√£o poucos e novos territ√≥rios devem ser conquistados para aument√°-los. Por recursos, queremos dizer: moedas de ouro, necess√°rias para comprar novas unidades para o ex√©rcito do her√≥i, construir infraestrutura, comprar equipamentos nas lojas e assim por diante; e cristais m√°gicos, √ļteis para rituais e geralmente ligados a tudo o que √© m√°gico. Infelizmente, conquistar um territ√≥rio n√£o √© suficiente: se voc√™ quiser aproveit√°-lo ao m√°ximo em termos de recursos, deve primeiro explor√°-lo o m√°ximo poss√≠vel. Explorar um territ√≥rio √© uma opera√ß√£o longa que leva um her√≥i por um turno inteiro.

Isso permite que voc√™ descubra lugares secretos, onde normalmente voc√™ pode enfrentar inimigos mais ou menos fortes para conseguir objetos e dinheiro, e alargar a √°rea habit√°vel para a popula√ß√£o, fazendo-a crescer e prosperar. Ao explorar totalmente um territ√≥rio, voc√™ obt√©m recursos de b√īnus, que nunca fazem mal. Quanto mais territ√≥rios eles conquistam, maior a probabilidade de enfrentar eventos aleat√≥rios que exigir√£o nossa interven√ß√£o indireta. Por exemplo, acontece que voc√™ tem que suprimir tumultos com sangue, ou tem que escolher se vai ou n√£o sacrificar parte da popula√ß√£o a inimigos poderosos e assim por diante. Normalmente esses eventos s√£o resolvidos gastando dinheiro ou cristais e, principalmente quando se tem poucos recursos, s√£o um grande inc√īmodo, pois um resultado negativo diminui a felicidade da popula√ß√£o local que fica mais sujeita √† rebeli√£o.



A luta

A fase de combate é a mais clara: posicione as tropas no campo, você tem que tentar derrotar os inimigos sem ser esmagado. Normalmente as lutas exigem muito planejamento, especialmente nos níveis de dificuldade mais altos, onde as vitórias perdidas são poucas e distantes entre si (no caso de clara superioridade de nossa parte, você pode pressionar um botão para que a CPU calcule o resultado da luta ) Quer os inimigos sejam um exército liderado por um Mestre da CPU ou monstros encontrados explorando algum território, você sempre terá que colocar suas tropas no lado esquerdo do campo de batalha e movê-las sucessivamente com o oponente. Obviamente, você tem diferentes tipos de unidades, todas as quais são capazes de subir de nível acumulando vitórias.

Sem mencionar todos eles, digamos que eles podem ser divididos em tr√™s categorias macro: unidades de combate corpo a corpo, unidades de longo alcance e unidades m√°gicas, com todas as variantes do caso. O primeiro tipo costuma ser o mais resistente, mas deve atingir o inimigo para atac√°-lo, enquanto os outros dois tipos s√£o mais fr√°geis, mas podem manter uma certa dist√Ęncia lan√ßando dardos ou flechas. Obviamente, n√£o falta o her√≥i, que representa o verdadeiro fulcro da nossa estrat√©gia. Na verdade, cada classe muda muito a maneira de enfrentar as batalhas, por exemplo, o comandante mais adequado para um papel passivo ou o mago que pode contar com feiti√ßos para produzir v√°rios efeitos e assim por diante. Normalmente fica claro pela descri√ß√£o das for√ßas em campo se h√° alguma chance de vit√≥ria, com o her√≥i que far√° o poss√≠vel para apontar o poss√≠vel resultado do confronto com um coment√°rio espec√≠fico (em verde otimista, em vermelho pessimista ) Alguns inimigos especiais, como vampiros ou drag√Ķes, s√£o m√°quinas de guerra implac√°veis ‚Äč‚Äče devem ser enfrentados apenas por her√≥is de alto n√≠vel com um ex√©rcito completo √† sua disposi√ß√£o. Fazer o contr√°rio envolve o exterm√≠nio das tropas e a morte do her√≥i, que pode ser ressuscitado na capital (as tropas devem necessariamente ser recontratadas).

Gr√°ficos 3D e multijogador

Se tudo escrito at√© agora por Eador. Mestres do Mundo Quebrado tamb√©m √© perfeitamente adapt√°vel a Eador: Genesis, agora vamos ver quais s√£o as verdadeiras novidades do t√≠tulo, que s√£o os gr√°ficos renovados e o multiplayer. Sobre o primeiro pouco h√° a dizer: em compara√ß√£o com o G√™nesis, um tanto grosseiro, √© agrad√°vel assistir em seu colorido 3D. Claro, as anima√ß√Ķes s√£o poucas, mas ainda √© uma pequena falha para um t√≠tulo que tem muitas outras cartas para jogar. Infelizmente, a interface n√£o mudou, a mesma inc√īmoda do passado, embora em alguns aspectos um pouco mais clara.

Em alguns casos, subsistem algumas lacunas importantes do lado das informa√ß√Ķes oferecidas, algumas das quais tiveram que ser mais evidentes e, de uma forma geral, podemos dizer que mais poderia ser trabalhado neste aspecto, de forma a fazer a semelhan√ßa com o Eador anterior menos evidente. A verdadeira novidade do jogo, que por si s√≥ pode valer ou n√£o a compra, √© o lado multiplayer. Basicamente, trata-se de gastar alguns pontos para criar um her√≥i e partir √† conquista de um mundo para enfrentar outros jogadores humanos, nos modos j√° vistos para o single player. Infelizmente este √© um lado bastante pol√™mico, ou porque √© muito problem√°tico (especialmente nas primeiras vers√Ķes, ent√£o alguns patches corrigiram v√°rias instabilidades e problemas), ou porque uma s√©rie de op√ß√Ķes est√° faltando, especialmente na busca por oponentes, que tornam a organiza√ß√£o de uma partida um desafio em si. Resumindo, parecer√° estranho para voc√™, mas o que era para ser o lado mais forte do jogo √© atualmente o mais fraco. No entanto, especialmente se voc√™ puder tentar online, Eador. Mestres do Mundo Quebrado realmente oferece muitas horas de jogo e uma profundidade dif√≠cil de encontrar em outro lugar. Se voc√™ √© apaixonado pelo g√™nero, d√™ uma chance.

Commento

Entrega digital: Steam, GoG Prezzo: 18,99 ‚ā¨ Resources4Gaming.com

8.2

Leitores (12)

7.5

Seu voto

Eador. Mestres do Mundo Quebrado √© a c√≥pia exata de seu antecessor, com mais maquiagem no rosto. Se voc√™ jogou Genesis recentemente, a compra s√≥ pode ser justificada pelo desejo de experiment√°-lo no modo multijogador ou de ver os novos gr√°ficos (mesmo que o √ļltimo aspecto seja realmente relativo). Quem j√° voou por cima sabe que Eador √© uma excelente estrat√©gia por turnos, com uma grande profundidade e uma mec√Ęnica bastante diferente em rela√ß√£o √† m√©dia do g√©nero. Infelizmente, permanece uma certa interface inc√īmoda, com alguns elementos, principalmente informativos, que poderiam ser melhor explicados. No entanto, ele merece uma promo√ß√£o em rela√ß√£o ao irm√£o mais velho e, portanto, deve ser levado em considera√ß√£o.

PROFISSIONAL

  • Mec√Ęnica de jogo profunda
  • Grande campanha para um jogador
  • Bom restyling gr√°fico
CONTRA
  • Interface complicada
  • Poucas novidades em compara√ß√£o com o antecessor
  • Multijogador ainda inst√°vel

Requisitos de sistema do PC

Configuração de teste

  • A equipe editorial usa o Computador Pessoal ASUS CG8250
  • Processore Intel Core i7-3770K a 3.50 GHz
  • 16 GB de RAM
  • Placa de v√≠deo NVIDIA GeForce GTX680
  • Sistema operacional Windows 8

Requisitos mínimos

  • Sistema operativo: Windows XP SP 2, Vista, o Windows 7
  • Processador: Pentium 2,0 GHz / AMD 2000+
  • RAM: 512MB
  • Placa de v√≠deo: GeForce 7300 / Radeon 9200
  • Espa√ßo em disco: 2 GB
  • DirectX: 9.0c

Requisitos recomendados

  • Processador: Intel Core 2 Duo 1.6 / AMD 3000+
  • RAM: 2GB
  • Placa de v√≠deo: GeForce 8800 / Radeon X1900
  • Diversos: o touchpad √© compat√≠vel, mas jogos com o mouse s√£o altamente recomendados
Adicione um coment√°rio do Mundos flutuantes
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.